Doutrina da Arte

Cursos sobre Literatura Bela e Arte

  • de August Wilhelm Schlegel
  • trad. Marco Aurélio Werle
Sinopse

Doutrina da Arte é o primeiro sistema estético na história do pensamento humano, surgida no período filosófico pós-kantiano e concebida pelo autor romântico August W. Schelegel (1767-1845), irmão de Friedrich Schlegel. O autor entende a poesia como núcleo de toda a atividade humana e reorganiza o universo artístico ao redor dela. O espírito simbolizador e livre da poesia também conduz as modalidades discursivas da história e da crítica da arte, surgidas principalmente a partir do século XVIII, e da teoria da arte, que lançou sua base na época antiga e alcançou uma nova dimensão com o advento do pensamento romântico. Dessa forma, lança-se uma nova luz sobre o sentido e o significado da estética como discurso filosófico acerca do fenômeno artístico. Permite, então, pensar a reflexão sobre a arte e a poesia de um modo aberto e integrador, para além de uma especialização, seja a do crítico, seja a do historiador da arte.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 71,00
ISBN 10: 8531414857
ISBN 13: 9788531414855
1ª edição, impressão de 2014

320 páginas
18 x 25,5 cm
Brochura
Coleção Clássicos

Eventos

28/09
02/10
de 2020

Feira Virtual da Abeu: Comunicação Corporativa

A Edusp participa do evento oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais