Alceu Amoroso Lima

Cultura, Religião e Vida Literária

  • de Leandro Garcia Rodrigues
Sinopse

Alceu Amoroso Lima teve inúmeras faces – de crítico literário, crítico cultural, professor, ensaísta, teólogo, entre outras –, mas a opção de Leandro Garcia Rodrigues neste livro foi a de analisá-lo na sua relação com a religião e com a vida literária, destacando seu papel de crítico do modernismo brasileiro. Inicialmente, o autor analisa a relação de Alceu com a fé religiosa, contextualiza a atuação da Igreja católica no país e sua inserção no meio cultural brasileiro. A seguir, o livro destaca a participação de Alceu Amoroso Lima na vida literária do país e sua relação com a crítica literária católica. Finalizando a obra, o capítulo Tensões Modernistas traz uma abordagem revisionista do processo modernista brasileiro sob a óptica do crítico, no qual Leandro procura comparar as experiências modernistas do Rio de Janeiro e de São Paulo e mostrar as diversas tendências do movimento entre nós.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 42,00
ISBN 10: 8531413674
ISBN 13: 9788531413674
1ª edição, impressão de 2012

232 páginas
16 x 23 cm
Brochura
Coleção Ensaios de Cultura

Eventos

28/09
02/10
de 2020

Feira Virtual da Abeu: Comunicação Corporativa

A Edusp participa do evento oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais