Um Editor no Império

Francisco de Paula Brito (1809-1861)

  • de Rodrigo Camargo de Godoi
Sinopse

A trajetória de Paula Brito é analisada neste livro de Rodrigo Camargo de Godoi, uma contribuição para a história do impresso no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro oitocentista. O autor investiga as circunstâncias históricas que convergiram para o aparecimento da figura do editor no Brasil, forjadas na concorrência com os impressos franceses, então consumidos ativamente em diferentes suportes materiais, e por meio de alianças políticas que franqueavam o acesso às modalidades de financiamento instituídas pelo governo imperial, dos privilégios às loterias. Assim, analisa as redes de sociabilidade estabelecidas pelo editor-livreiro, as relações que estabeleceu com seus autores, e as adversidades do mercado livreiro no Rio de Janeiro no século XIX.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 44,00
ISBN 10: 8531416108
ISBN 13: 9788531416101
1ª edição, impressão de 2016

392 páginas
21 x 22 cm
Brochura
Coleção Memória Editorial

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais