Brasilianas

José Olympio e a Gênese do Mercado Editorial Brasileiro

  • de Gustavo Alejandro Sorá
Sinopse

Originalmente escrito como tese de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da UFRJ, este livro propõe uma abordagem diferente ao estudo do mercado editorial brasileiro. Mais do que contar a história da Livraria José Olympio, o autor narra o desenvolvimento e as particularidades desse mercado no Brasil a partir da trajetória do fundador dessa editora, uma das mais importantes figuras da história editorial no Brasil, e também de outras editoras, como a Globo. Com ênfase nas décadas de 1930 e 1950, o livro também analisa aspectos amplos da edição, estabelecendo uma “antropologia” da edição brasileira, ao analisar, por exemplo, coleções como a Documentos Brasileiros e a série Brasiliana, títulos que revelavam a ideologia da época, voltada à construção de uma identidade nacional.

Ficha técnica

R$ 75,00
ISBN 10: 853141122x
ISBN 13: 9788531411229
1ª edição, impressão de 2010

488 páginas
21 x 22 cm
Brochura
Coleção Memória Editorial
Coedição: Com-Arte

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais