Fundamentos da Composição Musical

  • de Arnold Schoenberg
  • trad. Eduardo Seincman
Sinopse

Primeira obra de Schoenberg traduzida no Brasil, este livro foi originalmente pensado e organizado entre 1937 e 1948, a partir da experiência do autor com estudantes universitários nos Estados Unidos. É o terceiro dos grandes tratados didáticos de teoria e prática que escreveu, e sua edição final, a partir de versões preliminares deixadas pelo compositor, foi feita em 1965 por seu colaborador Gerald Strang. A parte I é dedicada à fundamentação teórica do que poderíamos denominar de “sintaxe musical”; a segunda e a terceira constituem os fundamentos de aplicação da análise, tanto das pequenas formas, quanto das grandes. Apesar de possuírem um certo grau de independência, seus conteúdos se interpenetram de maneira profunda e consistente. O mérito principal de Fundamentos da Composição Musical é o de abordar, didática e profundamente, um repertório básico destinado a todos os estudiosos e interessados em música.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 60,00
ISBN 10: 8531400457
ISBN 13: 9788531400452
3ª edição, impressão de 2015

276 páginas
15,5 x 23 cm
Brochura
Coleção Ponta

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais