A Casaca do Arlequim

Belo Horizonte, uma Capital Eclética do Século XIX

  • de Heliana Angotti-Salgueiro
Sinopse

O arquiteto francês Paul Planat usou a expressão casaca do arlequim ao analisar, em 1890, obras do ecletismo, qualificando-as como pastiche de múltiplas referências e associando seu caráter fragmentário ao traje feito de retalhos. Neste livro, a historiadora Heliana Angotti-Salgueiro insere o estudo aprofundado do estilo eclético na analise da criação de Belo Horizonte, idealizada para substituir Ouro Preto como capital de Minas Gerais e inaugurada em 1897. Apoiando-se em vasta pesquisa, a autora analisa a articulação entre as ideias e as formas, tanto locais como globais, presentes no pensamento racionalista do engenheiro Aarão Reis, autor da planta, nos modelos da École des Beaux-Arts de Paris retomados pelo arquiteto José de Magalhaes em seus projetos, e nas práticas dos mestres de obras italianos que construíram a cidade. Oferece, assim, uma obra de referência para todos que buscam entender a arquitetura e o urbanismo do século XIX.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 100,00
ISBN 13: 9788531417337
1ª edição, impressão de 2020
608 páginas

19,5 x 25,5 cm
Brochura
Coedição: Editora UFMG

Eventos

19/11
de 2020

Lançamento de “Ensaio sobre Música Brasileira”

Acontece na quinta-feira, 19/11/2020, o lançamento virtual de "Ensaio sobre Música Brasileira", de Mario de Andrade, em nova edição organizada por Flávia Camargo Toni.

Mais Eventos

Mais

Especialistas discutem educação nos países de língua portuguesa

Educação em países lusófonos é tema de seminário

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador
Mais