Alex Flemming

  • de Ana Mae Barbosa
Sinopse

Ao apresentar as obras da exposição Alex Flemming: Corpo Coletivo, que teve a curadoria de Ana Mae Barbosa, procura-se traçar aqui uma história da produção visual do artista, voltada para a reflexão acerca do corpo. O conjunto evidencia a coerência temática e ideológica de seu trabalho, que faz uma releitura dos procedimentos das vanguardas pela articulação do estético e do político, como na recente série Body Builders, também representada neste livro. Além de um ensaio da organizadora, o volume inclui entrevista com o artista e textos de diversos especialistas em artes visuais e outras áreas – entre eles Nelson Brissac Peixoto, Tadeu Chiarelli, Fábio Magalhães, Fernando Cocchiarale, João A. Frayze-Pereira, Caio Fernando Abreu, Haroldo de Campos e Jean-Claude Bernardet.

Ficha técnica

R$ 92,00
ISBN 10: 8531406641
ISBN 13: 9788531406645
1ª edição, impressão de 2002

176 páginas
23 x 26 cm
Brochura
Coleção Artistas Brasileiros
Coedição: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais