Mau-olhado

  • de Veiga Miranda
Sinopse

Veiga Miranda (1881-1936) foi engenheiro, professor, jornalista e político, além de escritor. Manteve intensa atividade literária, colaborando em periódicos, publicando romances, livros de crônicas, contos e novelas, uma peça de teatro, e volumes de ensaios biográficos ou de crítica literária. Mau-olhado é o segundo romance do autor, publicado pela primeira vez em 1919 pela Livraria Editora Leite Ribeiro, e reeditado em 1925 pela Cia. Graphico Editora Monteiro Lobato. A ação se passa ainda na época da escravidão, na zona rural do nordeste paulista, onde transcorre a trágica história do jovem padre Olívio e de sua madrasta Maria Isolina. Para Lobato, o autor “reafirma seus magníficos dotes de pintor de almas e costumes. O enredo transcorre dentro do quadro agreste da vida roceira. Lê-lo é ter desdobrada ante os olhos a cinematografia colorida das fazendas abertas no sertão – luta bárbara do homem contra a selvageria”.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 60,00
ISBN 10: 8531413958
ISBN 13: 9788531413957
3ª edição, impressão de 2013

380 páginas
14 x 21 cm
Capa dura
Coleção Reserva Literária
Coedição: Com-Arte

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais