João do Rio e o Palco Vol. 1

Página Teatral

  • de Níobe Abreu Peixoto
Sinopse

João do Rio, nosso principal cronista da belle époque carioca, foi um escritor que experimentou o sucesso em vida e que, ao contrário de muitos dos seus contemporâneos, sobreviveu à passagem do tempo. É bastante conhecido do público pelas suas crônicas, romances, contos e peças, nos quais a qualidade estética alia-se à do cronista da vida literária brasileira nas primeiras décadas do século XX. Neste livro, temos contato com sua faceta menos conhecida: a de crítico teatral, ou comentarista teatral, como preferia ser chamado. Níobe Peixoto desenvolveu extensa pesquisa em vários jornais, muitos deles em lastimável estado de conservação, e nos apresenta as crônicas que o autor publicou na Gazeta de Notícias entre 1907 e 1915. Em suas crônicas, João do Rio teceu comentários sobre as encenações, atores, autores, textos dramáticos, e diversos acontecimentos do meio teatral de sua época, incluindo observações sobre o comportamento do público, traçando um rico painel do período.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 40,00
ISBN 10: 8531409632
ISBN 13: 9788531409639
1ª edição, impressão de 2009

280 páginas
16 x 23 cm
Brochura

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais