Arte de Guerrilha

Vanguarda e Conceitualismo no Brasil

  • de Artur Freitas
Sinopse

Arte de Guerrilha examina a produção de artistas de vanguarda no Brasil no período da ditadura militar, entre os anos de 1969 e 1973. O objetivo de Artur Freitas é o de especificar, no interior da produção dita contracultural, as estratégias da arte de guerrilha, ou do “projeto conceitualista” como prefere, que reagiram à repressão política, à perda de direitos e à censura às artes, frutos do AI-5. O autor elegeu algumas obras como sintomas do imaginário do período, priorizando a interpretação cuidadosa de seis obras, ou intervenções, de três artistas: Cildo Meireles, Artur Barrio e Antonio Manuel. O autor mobiliza em suas análises noções de diferentes formas discursivas a partir das exigências suscitadas por cada obra singular, recorrendo a várias fontes: entrevistas e depoimentos, críticas em jornais e revistas, artigos teóricos, e referências poéticas supostas.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 68,00
ISBN 10: 8531413680
ISBN 13: 9788531413681
1ª edição, impressão de 2013

360 páginas
16 x 23 cm
Brochura

Eventos

01 a
10/07
de 2020

[Prorrogada] 1ª Feira Virtual das Editoras Universitárias

A Edusp participa do evento oferecendo títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Lançamento de “Desenvolvimento e Cooperação na América Latina”

Coordenado por Enrique García, o sétimo volume da coleção Cátedra José Bonifácio é lançado no Portal de Livros Abertos

Livro mostra as transformações políticas em São Paulo

Professor de Nova Jersey analisa história pouco explorada do estado de São Paulo

Um arquiteto que sonhou a cidade para os cidadãos

Livro traz textos de arquiteto que põe em xeque o desenvolvimentismo na arquitetura

O dicionário do iluminista que estudou o inferno no século 19

Livro registra o vernáculo ocultista de dois séculos atrás

O naturalista pioneiro que saiu na defesa das florestas

A história de Frei Veloso, missionário, tipógrafo e cientista, é contada em novo livro da Edusp
Mais