Clarice

Uma Vida que se Conta

  • de Nádia Battella Gotlib
Sinopse

Nádia Gotlib desenvolve neste livro uma leitura fundamentada em dados de caráter biográfico e em considerações críticas sobre a obra literária e jornalística de Clarice Lispector. As duas linhas narrativas alternam-se, por vezes cruzam-se, estabelecendo diálogo que estimula as relações entre literatura e biografia, entre história e ficção. Paralelamente, surgem outras questões de interesse referentes a múltiplos agentes culturais que interferiram na formação da personalidade artística de Clarice Lispector: suas raízes ucranianas judaicas, o solo nordestino da infância e pré-adolescência, os grupos intelectuais do Rio de Janeiro dos anos de 1940, os países da Europa e os Estados Unidos, onde viveu durante quase dezesseis anos, e, de novo, o Rio de Janeiro das décadas de 1960 e 1970. A autora inclui nessa edição revista e ampliada dados recentemente descobertos, imagens inéditas e fontes bibliográficas de importância para a melhor compreensão da vida e obra de Clarice.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 78,00
ISBN 10: 8531414399
ISBN 13: 9788531414398
7ª edição, impressão de 2013

656 páginas
16,2 x 23,5 cm
Capa dura

Eventos

28/09
02/10
de 2020

Feira Virtual da Abeu: Comunicação Corporativa

A Edusp participa do evento oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais