Mário de Andrade e a Argentina

Um País e sua Produção Cultural como Espaço de Reflexão

  • de Patricia Artundo
  • trad. Gênese Andrade
Sinopse

Este livro revela aspectos importantes do intenso diálogo que Mário de Andrade manteve com o universo cultural da Argentina entre os anos de 1920 a 1945. Patricia Artundo analisou diversos documentos tanto nesse país como no Brasil, o que lhe permitiu reconstruir o caminho percorrido pelo artista em ambas as direções. Percebe-se nesta obra como a literatura, as artes plásticas, os estudos sobre o folclore e outras fontes enriqueceram as reflexões de Mário sobre o próprio país. Sua coleção de artes plásticas, hoje preservada no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP, mostra que a presença argentina é rica no acervo do escritor, da qual a autora procurou rastrear o significado que pode ter tido em sua produção artística ou nas reflexões sobre a arte que se produziam naqueles anos. Patricia mostra também o papel que o contato com Mário teve para os intelectuais e artistas argentinos, ocupando um lugar central entre eles, especialmente na década de 1940.

Ficha técnica

R$ 56,00
ISBN 10: 8531408415
ISBN 13: 9788531408410
1ª edição, impressão de 2004

232 páginas
15,2 x 23 cm
Brochura

Eventos

19 a
31/10
de 2020

Lombada

A Edusp participa da Lombada, a feira de livros da PUCPR, oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Antropólogo cultural Néstor García Canclini assume cátedra na USP

Autor de Culturas Híbridas toma posse na Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência da USP

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador
Mais