Graciliano Ramos e a Cultura Política

Mediação Editorial e Construção do Sentido

Capa de Graciliano Ramos e a Cultura Política Obra Premiada
  • de Thiago Mio Salla
Sinopse

Entre 1941 e 1943, Graciliano Ramos contribuiu com o periódico getulista Cultura Política: Revista Mensal de Estudos Brasileiros, produzindo crônicas para a seção “Quadros e Costumes do Nordeste”. Nesta obra, Thiago Mio Salla analisa o conjunto desses textos, sem os desvincular das circunstâncias históricas em que foram publicados ou do enquadramento discursivo conferido a eles pelo periódico. Graciliano Ramos e a Cultura Política é resultado de uma pesquisa minuciosa em que o autor examina a edição e a recepção das crônicas de Graciliano, bem como o discurso cultural dos anos de 1930 e 1940, detendo-se mais especificamente na mensagem oficial veiculada pela revista Cultura Política, principal veículo de doutrinação ideológica do Estado Novo, para enfim analisar os quadros nordestinos de Graciliano e a participação desses textos nos debates contemporâneos a sua produção.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 70,00
ISBN 10: 8531416248
ISBN 13: 9788531416248
1ª edição, impressão de 2016

584 páginas
18 x 25 cm
Brochura

Prêmio
3º Prêmio Abeu
Associação Brasileira das Editoras Universitárias
Sociais e da Expressão - 1º Lugar
Thiago Mio Salla

Eventos

28/09
02/10
de 2020

Feira Virtual da Abeu: Comunicação Corporativa

A Edusp participa do evento oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais