Dicionário da Escravidão Negra no Brasil

  • de Clóvis Moura
Sinopse

Resultado de extensa pesquisa elaborada pelo autor ao longo de trinta anos, esta é a primeira obra de referência sobre a escravidão colonial brasileira destinada ao grande público e à comunidade interessada no tema. O Dicionário da Escravidão Negra no Brasil é uma notável obra que dá ao leitor uma visão mais orgânica e crítica desse período da sociedade brasileira, cujas marcas se prolongam até os dias atuais. Ao longo de oitocentos verbetes, o autor sistematiza e complementa as informações existentes sobre o regime escravista, trazendo novos elementos que permitirão ao leitor formar uma opinião mais equilibrada sobre esse regime de exclusão que marcou quatro séculos da história brasileira. Clóvis Moura revela aspectos do Brasil escravocrata e também do Brasil escravizado, constituído de negros anônimos que lutam pela sua emancipação e contribuem decisivamente para a construção da nação, criando e preservando os elementos culturais que, séculos depois, viriam a constituir a cultura brasileira.

Ficha técnica

R$ 98,00
ISBN 10: 8531408121
ISBN 13: 9788531408120
1ª edição, impressão de 2022

440 páginas
17 x 24 cm
Brochura

Eventos

24/02
de 2024

Lançamento de livros sobre o Museu Republicano “Convenção de Itu”

Descubra a história por trás da fundação do Museu Republicano de Itu e o seu percurso ao longo de 100 anos com o lançamento de dois livros da Edusp

Mais Eventos

Mais

Amizade entre Mário e Oswald de Andrade é explorada em novo volume da Coleção Correspondência

Correspondência Mário de Andrade & Oswald de Andrade mostra a importância da escrita epistolar não só para o modernismo como também para a preservação de nossa história

Do jornalismo ao ativismo político, antologia revela as múltiplas faces da obra de Patrícia Galvão, a Pagu

“Palavras em Rebeldia” mostra a importância de Pagu, que passou de escritora pouco conhecida a homenageada da FLIP, na história do modernismo e nos dias de hoje

Livro aponta a influência das óperas europeias na construção do romance brasileiro e na sociedade pós-colonial

“Ópera Flutuante: Teatro Lírico, Literatura e Sociedade no Rio de Janeiro do Segundo Reinado” retrata a presença do drama musicado na capital do Brasil no século XIX

Antropólogo usa história da arte para compreender origens e poderes de artefatos indígenas

Em “Ardis da Arte: Imagem, Agência e Ritual na Amazônia”, Carlos Fausto traça comparativo etnográfico entre regimes imagéticos e culturas de povos originários das ...
Mais