O Rinoceronte de Ouro

Histórias da Idade Média Africana

Capa de O Rinoceronte de Ouro Obra Premiada
  • de François-Xavier Fauvelle
  • trad. Regina Salgado Campos e Iraci D. Poleti
Sinopse

Um mapa, um afresco, uma carta, as ruínas de uma cidade, uma moeda: são vestígios muitas vezes incertos que permitem a François-Xavier Fauvelle reconstituir a história de uma África praticamente desconhecida: a do período conhecido como Idade Média africana, entre os séculos VIII e XV. Ao longo de 34 capítulos, contemplam-se diferentes aspectos de sociedades de várias partes do continente, revelando-se formações políticas poderosas, cidades densamente povoadas e grandes correntes de trocas intercontinentais – de homens, mercadorias, religiões e culturas. Por meio das justaposições e comparações empreendidas pelo autor, esse conhecimento a princípio fragmentário dá lugar a uma história aberta a descobertas futuras e às transformações de sentido que elas promoverem. Cada capítulo traz indicações de estudos especializados e conhecidos pela comunidade acadêmica africanista que ajudam o leitor a adentrar mais fundo neste itinerário por séculos de história africana.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 48,00
ISBN 13: 9788531416996
1ª edição, impressão de 2019
296 páginas

16 x 23 cm
Brochura

Prêmio
5º Prêmio Abeu
Associação Brasileira das Editoras Universitárias
Tradução - 2º Lugar
Iraci D. Poleti e Regina Salgado Campos

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais