Repressão e Resistência

Censura a Livros na Ditadura Militar

  • de Sandra Reimão
Sinopse

Este livro aborda a censura oficial à cultura e às artes, especialmente a livros de ficção de autores brasileiros durante a ditadura militar. O estudo dos atos censórios da Divisão de Censura de Diversões Públicas em relação a livros possibilita delinear alguns elementos dos mecanismos utilizados e refletir sobre a repercussão que tiveram na produção da cultura brasileira. Inicialmente, a autora traça um panorama histórico da atuação censória nos governos militares no que concerne à cultura, às artes e aos livros em particular. A seguir, detém-se em casos de vetos a textos de ficção de autores brasileiros: os livros Feliz Ano Novo, de Rubem Fonseca, Zero, de Ignácio de Loyola Brandão, Dez Histórias Imorais, de Aguinaldo Silva, Em Câmara Lenta, de Renato Tapajós, e contos de Dalton Trevisan e de Rubem Fonseca, publicados na revista Status. Esta segunda edição revista e ampliada incorpora novas informações e dados obtidos graças à localização de novos documentos.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 78,00
ISBN 13: 9788531417559
2ª edição, impressão de 2019
184 páginas

20 x 24 cm
Brochura

Eventos

19 a
31/10
de 2020

Lombada

A Edusp participa da Lombada, a feira de livros da PUCPR, oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Antropólogo cultural Néstor García Canclini assume cátedra na USP

Autor de Culturas Híbridas toma posse na Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência da USP

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador
Mais