Peixes do Brasil/Brazilian Fishes

Aquarelas de Jacques Burkhardt (1865-1866)/Watercolors by Jacques Burkhardt (1865-1866)

  • org. Heraldo Antonio Britski e José Lima de Figueiredo
  • trad. Marcelo Biancalana
Sinopse

Peixes do Brasil apresenta pela primeira vez, em edição bilíngue, o conjunto completo de aquarelas de peixes marinhos e de água doce elaboradas por Jacques Burkhardt. Trata-se da maior coleção de desenhos de peixes brasileiros elaborados por um único artista, da qual apenas uma pequena parcela havia sido publicada até agora. Burkhardt integrou a Expedição Thayer, idealizada e comandada pelo naturalista suíço Louis Agassiz, com quem percorreu o território brasileiro nos anos de 1865 e 1866. O valor das aquarelas, realizadas antes do surgimento da fotografia colorida, não se limita aos aspectos artísticos, estendendo-se ao registro de informações importantes, como datas e localidades, e também às anotações manuscritas. Algumas delas, feitas por Agassiz, evidenciam sua atenção aos detalhes do desenho de Burkhardt e revelam traços do temperamento de uma figura tão destacada quanto controvertida das ciências naturais do século XIX.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 160,00
ISBN 13: 9788531415531
1ª edição, impressão de 2019
480 páginas

23,5 x 27 cm
Capa Dura

Eventos

19 a
31/10
de 2020

Lombada

A Edusp participa da Lombada, a feira de livros da PUCPR, oferecendo uma seleção especial de títulos com 50% de desconto

Mais Eventos

Mais

Antropólogo cultural Néstor García Canclini assume cátedra na USP

Autor de Culturas Híbridas toma posse na Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência da USP

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador
Mais