Um Colecionador de Angústias

  • de Fidelino de Figueiredo
Sinopse

Esta quarta edição de Um Colecionador de Angústias, obra que de algum modo se destaca na produção do autor – quiçá pelo bem que lhe retrata a alma, o pensamento e o estilo –, complementa o volume Fidelino de Figueiredo Visto por Ele e Pelos Outros, cujo propósito é o de reavivar a figura e a importância desse notável português, professor da Universidade de São Paulo entre 1938 e 1951. Os textos do Apêndice que se acrescentam a esta edição fornecem mostra do sentimento com que o Um Colecionador foi recebido à época de seu lançamento, no início dos anos de 1950. Nas palavras de Segismundo Spina, um dos mais destacados discípulos de Fidelino, Um Colecionador de Angústias, obra da maturidade do escritor, é “uma autobiografia original: a autobiografia do verdadeiro humanista do século XX, daquele que procura, numa plasticidade expressiva da experiência, a universalização das emoções pessoais”, é “uma filosofia da vida, depois de muito sofrer, muito criar e muito conhecer os homens”.

ver sumário

Ficha técnica

R$ 60,00
ISBN 10: 8531411885
ISBN 13: 9788531411885
4ª edição, impressão de 2012

264 páginas
16,5 x 23,8 cm
Capa dura
Coleção Os Fundadores da USP

Eventos

16/09
de 2020

Lançamento de “Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP”

Acontece na quarta-feira, 16/9/2020, o lançamento e o debate virtual de "Sobre os Primórdios da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP", organizado por Walnice Nogueira Galvão.

Mais Eventos

Mais

Livro de entrevistas lembra os primeiros anos da USP

Obra traz depoimentos de Paul Bastide, Antonio Candido, Florestan Fernandes e Mário Schenberg, entre outros

Edusp tem novo diretor-presidente

Carlos Roberto Ferreira Brandão, ex-diretor do MAC (2016-2020), é o novo diretor-presidente da Edusp a partir de setembro de 2020.

Trabalhadores humanitários e o legado de Sérgio Vieira de Mello

Trajetória de Sérgio ilumina possibilidades da ação humanitária e o terreno como lugar dos direitos humanos

“Não há evolução sem ruptura”

Entrevista com Alex Flemming, pintor, escultor e gravador

É verdade que nevou em São Paulo em 1918?

No caderno de visitas da famosa garçonnière mantida pelo escritor Oswald de Andrade na Rua Líbero Badaró, apelidada de "covil da rua Líbero", há a referência de que nevou ...
Mais